17/10/2017

Fui fazer meditação!

Uma amiga que anda a meditar, mandou-me um link com uma meditação especial. "Healing a Broken Heart" (Curar um coração partido) 

Ora... Eu nunca fiz meditação na vida. Mas estava aqui sem fazer nada. Crianças na cama e tal... Resolvi ver o que aquilo era. Mal não fazia! 

Li as instruções atentamente [basicamente como quem lê as traseiras da caixa de uma lasanha congelada!]

Percebi mais ou menos como tinha de me sentar, a respiração que devia fazer, os detalhes aos quais devia tomar atenção. 

E assim me sentei de pernas à chinês. No sofá porque estava frio e não me apetecia ir para o chão. 



Liguei a gravação. 

Isto é tudo muito bonito, mas quando se tem um cão em casa, não é fácil! Os primeiros momentos, enquanto o senhor cantava shalom-shalam-shalim, foram passados a enxotar Mr Darcy que insistia em lamber-me as mãos e cheirar as minhas orelhas. Os segundos momentos foram a pensar "Ca granda merda? Isto vai ser shalom-shalam-shalim até ao fim?"

Mas não! Ele começa a falar. E a orientar a meditação. Então temos um homem que parece que está a falar no fundo de um túnel, em inglês e que é "sopinha de massinha"! (Nada contra... A minha filha também é! Chama-se Sigmatismo!) O problema é que era suposto ele curar o broken heart e estava a falar em inglês no fundo de um túnel e era sopinha de massinha. 

Vá! Não sejas esquisita! Concentra-te! Então ele começa a falar do coração, da energia... E Vruuuuuummmmm!!! Passam dois carros a abrir. Onde? Na janela do homem! Devia ter previsto isto quando fez a gravação, ou não? 

E então eu tento concentrar-me de novo na meditação e na respiração e nas energias. E nessas cenas!

Percebo que, do lado de fora da minha janela, chove torrencialmente! Mas até acho agradável e sinto-me confortável. 

Pim! Caiu-me um e-mail!!! Porra! Não consegui ouvir aquela parte que ele disse agora... Será que o meu broken heart já não vai curar por causa desta parte? 

Volto a concentrar-me! Esta meditação está a ser um sucesso!!! 

E então ele diz que muitas vezes, nestas situações, as pessoas pensam muito no dia de amanhã. Eu concordo! Aceno afirmativamente. Começo a entusiasmar-me! E ele remata... E diz que as pessoas não devem pensar no dia de amanhã! E porquê perguntam vocês! Porque o amanhã vai ser igual a ontem! Porra!!! Mas que merda é esta? Ontem já foi menino! Quero lá repetir o dia de ontem!!! A malta quer é avançar!

Ok! Acalma-te! Isto deve fazer sentido daqui a bocado... 

Ele continua a falar. Relembro: em
Inglês, sopinha de massinha e no fundo de um túnel! Continuemos... 

Eu juro que estou a fazer um esforço! 

Daí a nada oiço o relógio digital dele a marcar as horas... Passados uns segundos, uma avioneta a passar-lhe por cima da cabeça! Tudo atinge o seu expoente máximo quando ele deixa cair folhas em cima do microfone e não as consegue apanhar. E eu ali... Firme! Sentada muito direita com pernas à chinês. As mãos relaxadas. O pescoço relaxado. A nuca pesadíssima! De tal forma que achei que podia estar a ter um AVC de tanto a sentir... Mas isso sou eu que sou hipocondríaca. 

O WhatsApp dá o toque de mensagem a entrar e Mr Darcy insiste e vem lamber-me as mãos outras vez... 

Ohhh F8€@-se! Caguei para a meditação! Vou buscar um copo de vinho Branco e um cigarro!  


Sem título

"Vieste de mansinho
Directo ao coração 
Sem que houvesse tempo
Para alguma precaução
Não sei se foi destino
Não sei se existe ou não 
Ou a seta do cupido
Com a força de um arpão"
Luisa Sobral

E a parte que custa mais é o silêncio instalado nos dias e arrancar o arpão de novo cá para fora. 

Com os dias divididos entre a tristeza, a incerteza e a revolta. 

E a angústia de um arpão arrancado à força do coração. 

Apanhar os cacos, é preciso apanhar os cacos...

14/10/2017

Como é que se faz?

Como é que se faz para apanhar os bocados? 

Outra vez... 

Outra vez! 

Como é que se faz para apanhar os bocados, sendo que já sabemos como o fazer, só não estávamos à espera de ter de o fazer outra vez? 

Como é que se faz quando achamos que estamos a viver um sonho e ele desaparece? 

Como é que se faz quando achávamos que estávamos a construir um castelo e ele desfaz-se em pedaços em cima da nossa cabeça e esmaga-nos o corpo até não conseguirmos respirar? 

Como é que se faz quando voltamos a encontrar a esperança perdida e, de um dia para o outro, ela desaparece. Numa nuvem de fumo! De nevoeiro denso que nos entra pelos olhos dentro e não nos deixa ver para além das lágrimas. 

Como é que se faz quando vemos as promessas feitas saírem pela janela sem sequer termos tempo de reagir. Como é que se agarra uma coisa que achávamos que era nossa e afinal não? 

Como?

Como é que se faz? 

Já o fiz antes... Mas não sei como fazê-lo agora. Não depois de abrir portas que estavam fechadas. Não depois de acreditar em coisas que já não acreditava. Não depois de sentir aquilo que achava que nunca iria sentir. 

Parece que a alma sai para fora do corpo. De um corpo totalmente inanimado. Despido. No chão. Amachucado e vazio. E a alma perdida a pairar por cima. Sem saber para onde ir. Pequena, asfixiada e seca. 

Eu sei como se faz. Já o fiz antes. Só não sei como fazê-lo agora. 

Não sei como se faz, sabendo de cor como fazê-lo. 

09/10/2017

Decorar-te!

Gosto de ficar a olhar para ti! 
Só para te ver. Para te decorar. 
Gosto quando acordo a meio da noite e tu estás lá, e gosto de olhar para ti enquanto dormes. Gosto de te decorar. Cada linha, cada ruga, cada sinal. Gosto de te decorar cada expressão. 
Gosto que, à medida que te observo, a minha respiração vá ficando compassada com a tua. 
Gosto quando, à medida que te observo, as imagens de nós me passem na cabeça como um filme em retrospectiva. E adoro o que sinto quanto vejo esse filme! Mas adoro também imaginar o filme que ainda não aconteceu. E esse também me faz feliz. 
Gosto de ficar a olhar para ti. Só para te decorar. Quando falas com estranhos, quando te ris entre os teus amigos. Quando enches os sítios onde passas. 
Gosto de ficar a olhar para ti enquanto agradeço a sorte que tenho. E enquanto agradeço a benção que somos. 

Gosto de ficar a olhar para ti. 
E adoro quando me apanhas a decorar-te! 

02/10/2017

Rejubilemos!

O Canal Panda vai voltar em grande neste Outono!

Foi no dia 1 de Outubro que estreou a "Caderneta do Panda" onde as crianças vão poder jogar em estúdio com o querido Francisco Garcia, coleccionar muitas estrelas douradas e permitir à equipa entrar na Grande Caderneta dos Vencedores. Destinado a crianças dos 5 aos 7 anos, os nossos filhos vão poder assistir ao programa aos Sábados e Domingos às 18:00. 

Podem espreitar aqui mesmo!!! 

A grande novidade é que podem descarregar gratuitamente a aplicação "Caderneta do Panda" (iOS e Android) para poderem jogar em família e ao mesmo tempo adquirir a Caderneta do Panda e as saquetas de cromos para coleccionarem. 

O Vicente já começou a fazer a dele!!! 





É um 3 em 1! Programa de TV, aplicação e caderneta em modo vintage para levar para todo o lado e trocar com os amigos. 


28/09/2017

Ela casou!

Uma rapariga italiana casou. Qual o espanto? Casou consigo própria. Tinha jurado que, se não encontrasse um jeitoso decente até aos 40, casaria sozinha. 

É isso! Mulher de armas. Sobretudo cumpridora de promessas. 

Para quê casar com alguém, se o podemos fazer sozinhos? 

Assim tem a certeza que nunca será traída. E que nunca lhe farão cenas de ciúmes. Ou cobranças. Pelos atrasos, pela roupa no chão. Pelos cremes espalhados na casa-de-banho. Pelo roupeiro totalmente ocupado pelos seus sapatos. 

Ahhh!!! E o amor!!! Que divertido e feliz vai ser fazer o amor com ela própria ao deitar. E também aposto que vai ter óptimas conversas à mesa durante o jantar. E vai ser tão bom ir a casa dos sogros ao Domingo!!! Afinal de contas, conhecem-na desde que ela nasceu. 

Também já estou a imaginar os filhos. Com os olhos dela e o feito... Dela também! Coisas boas!!!

E se um dia se separar, a guarda partilhada vai ser uma semana na casa dela e outra semana na casa... Dela!!! Assim nem precisam de andar de mochila às costas. Vai ser óptimo para as crianças! 

Aproveitava e começava já a fazer terapia! É como se fosse terapia familiar! Mas fica mais barato porque é só a ela. Pode ser que ganhe juízo. E se separe!!!

27/09/2017

11 minutos

19:45 - Chegar a casa do supermercado, atirar os sacos para a cozinha, mandar filhos para o banho e ir passear o cão. 

20:05 - Confirmar que já tomaram banho, arrumar as compras do supermercado, ligar à amiga a confirmar um detalhe da receita e dar um grito lá para dentro para se despacharem. 

20:15 - Enfiar o jantar no forno, pedir para trazerem os trabalhos de casa, dar de comer ao cão. 

20:25 - ajudá-lo a distinguir nacionalidade de naturalidade. 

20:27 - ajudá-la a decorar tarso, metatarso e falanges. 

20:28 - ver se a água do arroz já está a ferver 

20:29 - ver com ele a evolução do girino ao sapo 

20:30 - carpo, metacarpo e falanges 

20:31 - meter o arroz dentro de água e baixar o lume. 

20:32 - ver se o assado está em condições

20:33 - por água nova na tigela do cão 

20:35 - mandar mensagem ao homem porque o benfica está a perder 

20:36 - idade dele, dos pais e dos avós. 

20:39 - úmero, ulna, rádio. 

20:41 - soletrar PORTUGUESA porque ele esqueceu-se que o "guê" tem de ter um U antes do E senão fica "gê"

20:43 - crânio, maxilar e mandíbula 

20:44 - Arrumem tudo e ponham a mesa se faz favor! 

20:46 - desligar o forno e o arroz. 

20:49 - ir para a mesa jantar. 

Sobram-nos 11 minutos para olharmos para a cara uns dos outros sem ser a ladrar, para comermos, para pormos a conversa em dia, para lhes mostrar que os adoro apesar da correria, para lavarem os dentes e para irem para a cama a horas decentes. Onze minutos! 

26/09/2017

Já temos memórias nossas! E eu gosto!

Deixei o YouTube escolher músicas ao acaso enquanto depositava os meus restos mortais no sofá a horas em que já devia estar deitada... 

Quando de repente começa o James Arthur a cantar "Say you wont let go". [O YouTube sabe bem como me agradar!]

Ainda sinto um arrepio nas costas. E automaticamente abro um sorriso patético na minha boca sempre que oiço isto. 

Transportei-me para aquele dia de Primavera. Noite! Noite de Primavera! Em que entraste cá em casa pela primeira vez fortemente munido de garrafas de vinho e da tua (inseparável) coluna de som. 

E enquanto eu (nervosa) mexia o risotto de cogumelos, tu ofereceste-te para me dar música. Literal e metaforicamente falando! 

- Gostas desta? 
- Está na minha playlist dos preferidos! - disse eu a disfarçar o entusiasmo.

(Na realidade, quase todas as que me mostraste já estavam na minha playlist! E isso fez-me gostar ainda mais de ti! Aliás... De nós!) 

E de todas as músicas que ouvimos (nessa noite e em todas as outras!), o James Arthur vai sempre ser lembrado como o primeiro! 

"I knew I loved you then
But you'd never know
'Cause I played it cool when I was scared of letting go
I know I needed you
But I never showed
But I wanna stay with you until we're grey and old
Just say you won't let go
Just say you won't let go"

Também não deixa de ser interessante que eu tenha feito aquele risotto de cogumelos pela milionésima vez [porque tinha a certeza que saía sempre bem] e, naquela noite, tenha sido a única que ficou uma merda! E mesmo assim, tu ficaste! 

25/09/2017

Ode às saudosas mamas!

Eram duas melancias
Bem roliças e viçosas 
Já tiveram melhores dias 
Estas mamas tão airosas

Vieram de lá os filhos 
Dar cabo do mamaçal
Vieram também os cadilhos 
Ai que isto ficou tão mal!

Sobram duas uvas parras
Tão vazias, descaídas 
Estão todas esmifradas
As maminhas tão queridas 

Isto assim só indo à faca
Para encher os balões 
Nem o wonderbra as safa 
Andam aqui aos pendurões

Que fatídico destino 
Foram as maminhas ter 
Para alimentar o menino
E a menina poder comer 

Que miséria é assim
A cena da maternidade 
Fica o rabo em pudim
E as mamas deixam saudade 

Diz que os filhos compensam 
Estas transformações 
Mas não há mamas que aguentem 
Que fonte de ralações 

Venha de lá o sorriso 
Dos filhinhos tão queridos
Porque o peitinho está liso
E morreu em tempos idos... 

24/09/2017

Faltam 10!

Faltam 10 dias para fazer 36 anos. 

Dizem que a vida começa aos 40! A minha recomeçou aos 35. 

Estou definitivamente a caminho dos 40... Lembro-me de ficar na fossa quando fiz 29! Só porque estava a chegar aos 30. Nunca mais me aconteceu! 

Confesso que estou expectante com isto dos 40. É ridículo! Porque na minha cabeça, é como se ainda não fosse sequer adulta. Ainda gosto de ter a aprovação dos meus pais. Ou receber mimos da minha avó. 

A única coisa que me distingue de uma criança, vá... Jovem! É o facto de viver sozinha e pagar contas! Ter uma filha com 9 anos e um filho com quase 7 se calhar também conta! E sair de casa todos os dias para trabalhar. Fora isso... Fora isso não sei como cheguei aqui! 

Vivi em 3 cidades diferentes. Uma delas fora de Portugal. Andei em três universidades. Namorados que me ensinaram tanta coisa. Tive várias profissões. Um blog que faz 9 anos e que nunca pensei que durasse tanto tempo. Duas gravidezes que me deram dois filhos perfeitos. Um casamento que não era para ter sido, mas que ainda bem que foi porque não teria hoje estes filhos queridos. Um amor que eu não pensei que pudesse existir e que me apanhou na curva no sítio certo à hora certa. Amigos maravilhosos! Outros que ficaram pelo caminho. Uma família que não podia ser outra. Ah! E um cão! Que também veio de forma inesperada mas que veio na hora certa. 

Estou a 10 dias de ficar definitivamente mais perto dos 40. E só me ocorre dar Graças! Pelas graças e desgraças que me guardaram e que sem todas, não tinha chegado até aqui. 

Venham de lá os 40! Quer dizer, os 36!!! 

20/09/2017

Aos 16 Anos!

Aos 16 anos tu achas que o Pedro é o homem da tua vida. Em Agosto! Porque na realidade, até Julho achavas que era o António! E ainda não sabes... Mas em Outubro ou Dezembro, vais perceber que, se calhar, o João é que sempre foi feito para ti! 

Aos 16 anos achas que Enfermagem é a tua profissão de sonho! Quando, até então, sempre achaste que querias seguir Direito. Mas aos 21 percebes que odeias agulhas e que ainda vais a tempo de entrar em Arquitectura. 

Aos 16 anos achas que os teus pais (de 45!) não percebem nada desta vida e que no tempo deles não era nada assim e eles não viveram nada e por isso não sabem nada! Quem não sabe és tu! Tu não sabes, mas aos 16 anos ocorre que os teus pais têm autoridade (porque até são eles que te pagam as contas e sustentam desde que nasceste) para te tirar a mesada e proibir-te de sair umas valentes noites só porque tu pensas que sabes tudo e és um malcriado!!! Quiçá um calduçozinho!

Aos 16 anos odeias cerveja! Mas bebes! Porque os teus amigos, que também não gostam, também bebem e acham que esta é uma forma de se afirmarem! De parecerem supé adultos! Tazaver? Não te preocupes! Os teus pais (de 45 que não sabem nada!) acharam exactamente o mesmo que tu! E fizeram o mesmo que tu. Olha para eles agora! Ninguém fica estúpido para sempre! 

Aos 16 anos achas que tudo se resume àquela noite! Àquelas calças! Àquela festa! Àquele namorado! Àquela amiga! Àquelas botas! Àquele suspiro! Respira! Faz parte do crescimento. 

Aos 16 anos achas que nunca vais mudar de amigos! E que os 479 amigos que tens (hoje em dia mede-se facilmente no facebook e são praí 3972) vão ser os teus melhores amigos para o resto da vida e podes sempre contar com eles! 

Aos 16 anos sabes que não é boa ideia irem para a praia tomar banho no mar às 4:00 da manhã com elevadas taxas de álcool no sangue. Mas... YOLO! [Estás a ver como os cotas sabem cenas?] Vai toda a gente!!!

Aos 16 anos achas que já sabes tudo da vida! Que tens as certezas absolutas! Que as decisões estão tomadas! Que nunca vais ser como os teus pais. Que vais salvar o Mundo! 
Lamento informar-te... [E também gostava de informar os trogloditas que estão sentados no nosso parlamento a sugerir leis absurdas, obsoletas e tão estúpidas que até as portas se riem] Tu estás apenas a colar os primeiros cromos na tua caderneta bebé! E mesmo que morras aos 99 anos, a tua caderneta nunca vai estar completa!