13/04/2018

Quando és Mãe Solteira obrigam-te a ser a Super Mulher!

Quando és Mãe Solteira, a única pessoa com quem podes contar é contigo própria. Isso cria uma enorme expectativa em relação àquilo que tens de ser capaz de fazer. Essa expectativa é criada pelos teus filhos porque não têm outro remédio! Mas também por ti própria porque... Enfim! Não tens outro remédio também.
O problema é quando a expectativa gerada não é proporcional ao tamanho dos teus braços. Acreditas que tens de chegar a todo o lado, cumprir com todas as exigências e fazer manobras acrobáticas para que nada falhe.
Quando és Mãe Solteira, és tu quem tem de saber onde está cada objecto perdido em casa. És tu quem tem de saber e decidir o que vai ser o jantar. És tu quem tem de se lembrar de qualquer actividade que os teus filhos tenham. És tu quem tem de ter dinheiro para pagar as contas todas. És tu quem tem de tratar das rotinas da casa. Das rotinas do carro. Do cão. Das doenças dos filhos. Das tuas próprias doenças. (Quando não finges que não estás sequer constipada porque uma Mãe, ainda por cima solteira, não tem tempo para constipações.) Quando és Mãe Solteira, és tu quem troca lâmpadas, faz a lista do supermercado, arranja a roda do skate, compra pilhas para o comando, rega as plantas, conta histórias e manda para o banho. És tu quem se chega à frente no campo de batalha. É contigo que discutes as preocupações do trabalho, do dia, dos filhos,  da carteira e do raio que o parta. É contigo que conversas antes de ir dormir. E isto não é no sentido figurado! Quantas vezes não dou por mim a falar em voz alta comigo mesma!!!
- Porra! Não apanhei a roupa!
- O carro está na reserva há dois dias, ainda vou ficar apeada...
- Foda-se! Esqueci-me de pagar a luz!
- Que é que eu faço para o jantar?
- Este armário está a precisar de uma arrumação...
Quando és Mãe Solteira, tens a mania que és a Super Mulher! Só que a merda é que não tens outra hipótese. Mesmo quando não te apetece sê-lo. Mesmo quando estás cansada e só te apetecia que te trouxessem uma sopa ao sofá, te descalçassem os sapatos e te adormecessem com festas na cabeça. A roupa não se lava sozinha, os filhos não se alimentam sozinhos. A vida não corre sem ti! Lá fora sim, mas não dentro da tua casa.
Hoje era um daqueles dias em que me apetecia ser filha. Ou então não ser o único adulto responsável aqui dentro.

6 comentários:

Filipa Pereira disse...

É bom saber que não estamos sozinhas, que as nossas angústias não são caprichos, que não estamos loucas. E sim, somos super mulheres. Porque mesmo sem o querer ser, sem querer fazer, fazemos e somos. No meio da confusão, por vezes caos (que parece infinito) a nossa luz, força, o que seja, brilha. Na exaustão dou por mim a dizer a mim mesma "é só mais um esforço, só mais um bocadinho" e a roupa fica lavada, o chão fica sem pelo, a louça está a escorrer. E vou para o sofá, com a caneca de chá a fumegar, deito-me, abraço-me e felicito-me pelas conquistas. Porque se nos conseguimos ouvir, também nos conseguimos sentir. E temos tanto amor para dar que é estupidez não dar um bocadinho a nós mesmas.

Filipa Pereira disse...

É bom saber que não estamos sozinhas, que as nossas angústias não são caprichos, que não estamos loucas. E sim, somos super mulheres. Porque mesmo sem o querer ser, sem querer fazer, fazemos e somos. No meio da confusão, por vezes caos (que parece infinito) a nossa luz, força, o que seja, brilha. Na exaustão dou por mim a dizer a mim mesma "é só mais um esforço, só mais um bocadinho" e a roupa fica lavada, o chão fica sem pelo, a louça está a escorrer. E vou para o sofá, com a caneca de chá a fumegar, deito-me, abraço-me e felicito-me pelas conquistas. Porque se nos conseguimos ouvir, também nos conseguimos sentir. E temos tanto amor para dar que é estupidez não dar um bocadinho a nós mesmas.

disse...

Muita força dias melhores viram. E acredite que existe gente a torcer por si. Beijinhos

Lisa disse...

Conheci o teu blog hoje e já me ri bastante. Vou voltar mais vezes.
Beijinhos

Joana Carvalho disse...

Este texto podia ter sido escrito por mim.... só não tenho cão!!

Felicidades!

Anónimo disse...

Não sou solteira, mas nunca me trouxeram uma sopa ao sofá, descalçaram os sapatos nem me fizeram festas na cabeça para adormecer. Dividimos bastantes coisas, é verdade. Mas mesmo assim sinto que os meus braços não chegam a nada. Tenho semanas em que tenho uma consulta com uma, um exame com outra, esta conta para pagar, isto para comprar para uma atividade qualquer e ainda ir deixar o dízimo à farmácia. E não sou solteira! E quando chego a casa, depois de todas descalçarem os sapatos peço-lhes 10 minutos a ficarem ver tv para eu apanhar a roupa, pôr outra a lavar, fazer as camas, pôr o jantar a fazer e então depois, sim, chamar para o banho. E não tenho fins de semana "sem filhos", nem noites só para mim (ah quem me dera) e sim, já tive alturas em que tinha 2 semanas só com elas. Diferenças? tinha de acordar mais cedo, de resto era igual. Beijinhos!