19/03/2017

Fugimos!



Fugimos! Fugi eu e levei-os atrás. Pela primeira vez os três completamente sozinhos.



Fomos descobrir! Coisas novas. A nós próprios. Eu a eles. Fugimos dos programas de sempre, dos sítios de sempre, das conversas de sempre. 
Fomos pela estrada a ver a paisagem, a conversar sobre o que víamos. Eu a contar-lhes histórias de mim, de nós, da minha infância. Descobrimos coisas que eu já não me lembrava de ver. Coisas novas para os três. 



O bom que é não ter de lhes dizer "espera aí!", "agora não posso!". Porque não havia aspiradores no meio, nem máquinas de roupa para lavar (vou pagá-las durante a semana, mas que se lixe!), jantar para fazer. Estivemos menos de 24h fora, mas ganhámos dias de atenção, de diálogo, de olhos nos olhos. 
E foi tão bom! Vê-los felizes! Estarmos os três tão bem. 



Se pudesse, fazia isto uma vez por mês. Devia instituir nesta casa, a descoberta de uma capital de distrito todos os meses. E aproveitávamos para descobrir o nosso país. A nossa cultura e a nós mesmos. Porque nos descobrimos tanto quando saímos do quotidiano e da rotina. 



Espero que eles tenham aproveitado tanto quanto eu os aproveitei a eles e quanto eu nos aproveitei a nós. 


2 comentários:

sandra figueiras disse...

Olá,
Como te compreendo, sou mãe de 3 e é de dar em doidos, ainda mais quando se mora em apartamentos e em dias de chuva é de dar em louca mesmo.
Por isso agora sempre que há sol lá fora pego neles e rua, ainda que o mais novo esteja a completar os dois anos já percorre quase tanto como os outros mais velhos de 5 e 10 anos.
Certo que durante a semana pago por isso, pois o que devia ter feito acumula para a rotina semanal.
Mas é muito gratificante ver a alegria deles estampada nos seus rostinhos.
Bj

Sandra Neves disse...

As vezes faz tanta falta um dia desses, mesmo que depois se ande a penar!